Desfazendo as estratégias do maligno

Ao longo da História, o homem, motivado por sua ambição e quase sempre tomado pelo espírito da rebelião, utilizou-se de questões políticas, ideológicas, religiosas e outras semelhantes a essas, para criar as suas próprias guerras, que são travadas e vencidas através de uma eficiente organização, obedecendo a um comando estratégico fundamentado, em uma ordem hierárquica, para que o poder ibérico da nação em questão seja mais bem aproveitado.

Satanás e sua origem

É no mínimo interessante observarmos a historia da criação de da queda de Lúcifer, o seu significado do seu nome inicial é ‘portador da luz ou brilhante’ (Isaias 14:12, Apocalipse 9:1; Lucas 10:18), esse foi o nome do querubim ungido (Ezequiel 28: 12-19), quanta beleza, sabedoria e perfeição existia nesse querubim enquanto ainda servia diante de Deus; porem a sua atitude em rebelar-se contra o seu criador, resultou em sua queda e o transformou em Satã, uma palavra de origem hebraica cujo seu significado é adversário (Jó 2:22, Mateus 4.11, Lucas 10:18,), hoje ele também é conhecido por outros nomes, como por exemplo, Diabo, (Efésios 6:11, Tiago 4:7), uma palavra de origem grega que significa acusador, nos dicionários e nos dias de Jesus, foi atribuído também a esse nosso inimigo o nome Belzebu, (Mateus 12:24, Marcos 3:22 ), palavra hebraica que significa príncipe dos demônios. Esses são apenas alguns nomes desse inimigo de Deus, nomes que revelam o seu terrível caráter, adquirido através da sua rebelião.

 

A queda dos anjos

Lúcifer foi expulso do céu, e com ele a terça parte dos anjos (Apocalipse 12:3,4), embora alguns não conseguem entender como um anjo criado para ser modelo de beleza, sabedoria e perfeição, pode ceder ao pecado, que resultou em sua total decadência. Atitudes malditas da queda de um querubim, (Isaias 14:13 - 14):

I.Desejou ser exaltado;

II.Desejo dominar sobre todas as coisas;

III.Desejou ter todo o poder;

IV.Desejou ser semelhante ao altíssimo

V.Desejou possuir toda glória; (Isaias 19:1, Êxodo 16:10).

 

Consequências da queda

O diabo é tido como o originador do pecado, (João 8:44, Gênesis 3:1-4), e através dessa criação maligna, a batalha espiritual foi iniciada, de um lado a luz, do outro, as trevas (1ª Tessalonicenses 5:5, João 12:46, 1ª Pedro 5:8,9), a batalha é espiritual é contínua e intensa entre os filhos de Deus e os filhos do maligno, entre a Igreja e o inferno, entre Jesus Cristo e Satanás. Nessa batalha, o inimigo utiliza-se de todas as suas artimanhas e estratégias para enfrentar com o propósito de derrotar o exercito de Deus, além de aprisionar novos aliados para o seu exercito:

Ele utilizou da mentira para a morte de Ananias e Safira (Atos 5:11-13), ele aprisionou por anos, uma família inteira através de uma possessão em forma de enfermidade (Lucas 13:11-13, Lucas 8:2), ele transformou a vida de Jó em um caus. (Jó 1:12-19), ele escravizava pessoas fazendo delas soldados possuídos por demônios como o homem gadareno (Marcos 5.10-20), como jovem que era jogado na água e no fogo (Marcos 9:14-22), espíritos de enfermidade, Satanás é capaz de se transformar em anjo de luz para enganar o seu oponente (2ª Coríntios 11:13-15).

 

Desfazendo as estratégias do maligno

Existem cinco diferentes níveis de batalha espiritual, são esses:

I.Batalha individual; Jesus sofreu esse ataque, Satanás foi capaz de tentar derrotar o próprio Cristo no deserto (Mateus 4:11);

II.Batalha coletiva; a igreja passa por esses ataques contínuos (1ª tessalonicenses 2:15, Mateus 16:18);

III.Batalha local; no trabalho, na universidade, etc. (1ª Timóteo 3:7);

IV.Batalha nacional; cada nação do mundo tem um nível diferente de malignidade, (Danial 10:13);

V.Batalha Transcendental; uma guerra cósmica, além do imaginável por parte do homem.

Identificando os inimigos

A força espiritual do maligno, tanto em quantidade como em poder, é infinitamente maior do que todas as forças armadas dos homens, porém se há algo que existe em semelhança entre elas, é a forma de comando hierárquico e estratégico. No reino do mal, essa hierarquia é articulada e comandada por Satanás, que é o possuidor da patente maior do império das trevas (Lucas 10:18); seguido dos seus terríveis oficiais e soldados (Apocalipse 12:9), que juntos formam um reino organizado, submisso e unido, trabalhado incessantemente debaixo de uma ordem de comando hierárquica, em busca da melhor estratégia para a o cumprimento da tríplice missão de Satanás (João 10:10).

Efésios 6:12

Principados (arché), espíritos governantes, magistrados, poderes, começo, referindo-se aqui, ao tempo de ordem. Os Principados são espíritos demoníacos da mais alta hierarquia demoníaca, esses demônios fazem parte do primeiro escalão do exercito de Satanás, são poderosíssimos e ao receberem ordem direta do próprio Lúcifer, atuam nas regiões celestiais. São chamados de príncipes (Daniel 10:13,20).

Potestades (exousia), o significado é: ‘Autoridades que permitem ou impedem. São espíritos com poder executivo, recebem autoridade e poder delegado pelos principados, (Colossenses 2:15; 1ª Coríntios 15:24) são forças de oposição contra a Igreja de Cristo.

Príncipes do Mundo das Trevas (kosmokrator), que significa governadores mundiais, ou senhores do mundo. Esses espíritos são responsáveis em conduzir a humanidade para as trevas; eles segam o homem, escravizam a sua alma, criando sistemas de diferentes formas de governo, firmados na religiosidade e no politeísmo, escravizando espiritualmente os povos, são responsáveis pela luta contra a verdadeira luz. (Atos 9:18);

Hostes Espirituais da maldade (pneumatikos), o significado é: ‘espírito da iniquidade, depravação, maligno’. Espíritos oprimem o homem, levando-o ao desespero total, o medo, a angustia, o suicídio são resultados desses espíritos malignos, eles oprimem a humanidade, levando-os ao caos.

Lido 957 vezes
Inscreva-se em nosso site para receber novidades e mensagens edificantes.